3.5.07

Quadrinhos Autobiográficos


Marcadores:

4 Comentários:

Às 10:20 AM, Blogger RIC@RDO disse...

HEHEHEHE
Eu lembro de uma vez que o hino terminou e o cara deu um puxão pra bandeira chegar lá em cima, dai o pessoal riu e ele resolveu sair rápido de lá e esqueceu de amarrar a cordinha da bandeira, quando ele virou de costas e soltou a corda a bandeira se veio até o chão! Esse sim nunca deve ter esquecido...
Eu nunca fui convocado para hastear a bandeira, mas já fiz várias apresentações no famoso "Momento Cívico".

 
Às 10:47 AM, Blogger Priscila disse...

hehehehhe... eu ja passei por essa pressão.. mas ainda bem que deu tdo certo, bandeira e hino em sintonia... :P não tenho esse trauma!!! :P muuuuuuuuito bom... o desenho é o horto nos seus dias!! MUITO BOM RAFA!!!

 
Às 12:46 PM, Blogger Gabriela Brito disse...

Hahaha e eu só fiquei sabendo desse detalhe agora.:O)
Muuuuuito legal parabéns!
Beijinhos

 
Às 8:20 PM, Blogger Claudia Cardoso disse...

Para não assistir aula no Instituto de Educação, eu e uma amiga ficamos de damas de honra da bandeira, em pé, por uma meia-hora. Tudo era farra, inclusive, pagar mico. Também fui convocada por minha professora de Ed. Física, esposa de um colega de banco do meu avô, a desfilar ao lado da bandeira rio-grandense na João Pessoa, tb naquele ano de 1979. Deste mico, em nome da boa amizade, não tive escapatória. E no jardim de infância na Argentina, em 1969, a gente hasteava a bandeira antes de entrar na aula todos os dias - e isso que era um colégio de freiras! Já, como professora, o momento cívico era uma forma de resgatar a brasilidade dos alunos, para além de ser morador daquela comunidade onde a escola estava localizada. Aprendi tanta coisa com eles...

 

Postar um comentário

<< Home